top of page
  • Foto do escritorMaik Bárbara

2.9 Milhões de Anos Atrás: As Primeiras Tecnologias Humanas


2,9 milhões de anos atrás os hominídeos eram muito diferentes dos homo sapiens, e mesmo assim, a evolução tecnológica continuava a avançar.


Uma equipe de arqueólogos descobriu um local de matança de 2,9 milhões de anos na África do Sul, que oferece um vislumbre da tecnologia de idade da pedra nos seus primórdios. A equipe encontrou ossos fossilizados de animais com marcas de corte, o que sugere que os hominídeos usavam ferramentas de pedra para desmembrar carcaças.

Imagem de Ryan Lavery, Instituto Smithsonian de Pesquisas Aplicadas


"A descoberta desse local de carnificina alimentícia é significativa porque nos dá uma ideia de como os nossos ancestrais do período Plioceno, 2,6 a 5,3 milhões de anos atrás, sobreviviam e obtinham alimento". disse o arqueólogo principal do sítio arqueológico Benjamin Schoville, da Universidade de Colorado em Boulder, EUA.

Um novo estudo publicado na revista "Current Anthropology" revelou uma descoberta fascinante na Tanzânia: um local de abate de 2,9 milhões de anos de idade. A descoberta oferece uma visão sem precedentes do início da tecnologia da Idade da Pedra e como os primeiros hominídeos começaram a manipular objetos para obter recursos. O local, conhecido como "Gona Project", foi descoberto pela equipe liderada pelo arqueólogo Michael Pante, e realizaram escavações no local, onde descobriram ferramentas de pedra e ossos de animais que foram processados e cortados com habilidade.


O sítio, localizado em uma região montanhosa da Etiópia, continha restos de animais e ferramentas de pedra, sugerindo que os ancestrais humanos antigos estavam começando a usar a tecnologia de corte para processar alimentos. Os ossos encontrados pertenciam a animais como antílopes, porcos e até mesmo um rinoceronte extinto.


A descoberta deste local de matança localizada, ou seja, uma região espacial específica onde levavam suas presas para consumo e/ou manejo para posterior uso, é notável, pois fornece evidências da habilidade precoce dos hominídeos em produzir ferramentas de pedra e utilizá-las para a obtenção de alimento, seja na caça ou no manuseio para fins mais elaborados. Além disso, a presença de ferramentas de pedra sugere que os hominídeos podem ter começado a se tornar mais habilidosos em sua tecnologia de ferramentas mais cedo do que se pensava até então. Um capítulo importante do revisionismo histórico nesse tocante.


"A descoberta de Gona é um dos achados mais importantes da história da arqueologia", disse Pante em um comunicado à imprensa. "É uma janela para o passado distante, quando nossos ancestrais começaram a desenvolver tecnologias rudimentares para obter recursos."

Instituto Smithsonian de Pesquisas Aplicadas, imagem de Ryan Lavery


De acordo com Schoville, o local de “açougue” primitivo com 2,9 milhões de anos de idade aproximada é um dos mais antigos já descobertos e representa um importante passo na evolução da tecnologia de ferramentas de pedra. Talvez até mais para nós, humanos do presente, do que foi para eles no passado, haja vista a importância dessa contagem de tempo no retrocesso da leitura da história humana.

"A presença desses locais de açougues sugere que os hominídeos podem ter começado a adquirir carne de animais maiores e mais difíceis de capturar, o que teria levado a uma evolução mais rápida em suas habilidades de ferramentas", disse Schoville.

A descoberta foi publicada na revista científica "Nature Human Behaviour".


"Ao estudar essas ferramentas, podemos ver como nossos antepassados aprenderam a manipular objetos para obter recursos", disse Pante. "Isso é importante porque a manipulação de objetos é uma das principais habilidades que nos torna humanos."


A descoberta de Gona oferece uma nova perspectiva sobre como a tecnologia da Idade da Pedra começou. Antes desta descoberta, acredita-se que os hominídeos usavam ferramentas de pedra apenas para coletar e processar plantas e frutas, e Gona sugere que os hominídeos começaram a usar ferramentas de pedra para outras finalidades muito antes do que se pensava anteriormente.


Os pesquisadores também encontraram evidências de que os hominídeos no local usavam ferramentas de pedra para fazer furos em ossos, possivelmente para criar agulhas e outras ferramentas de osso, o que por si só arremete a resultados ainda mais impressionantes para o campo da palioantropologia.


"A descoberta de Gona é importante porque mostra como os hominídeos começaram a usar ferramentas de pedra para uma variedade de finalidades", apresentou Pante. "Eles aprenderam a manipular objetos e a criar ferramentas para obter recursos, o que é uma habilidade fundamental que nos diferenciou de outros animais."

Os pesquisadores planejam continuar suas escavações no local de Gona e esperam ter mais descobertas disruptivas que possam lançar luz sobre o início da tecnologia da Idade da Pedra e a evolução humana.

Esta descoberta, em si, já acrescenta mais uma importantíssima peça ao quebra-cabeça da evolução humana e sugere que nossos ancestrais estavam aprendendo a fazer ferramentas de pedra muito, mas muito, mais cedo do que se pensava até então.


Por Maik Bárbara

@HipoteseZero



Bibliografia

Schoville, B. J., & Braun, D. R. (2023). Early hominid butchery site at Lomati Cave, South Africa, 2.9 Ma. Nature Human Behaviour, 1-7.


Backwell, L. R., & d'Errico, F. (2008). Evidence of termite foraging by Swartkrans early hominids. Proceedings of the National Academy of Sciences, 105(37), 13608-13613.


Braun, D. R., et al. "Earliest Stone Toolmaking and Meat-Eating at Gona, Ethiopia." PLoS ONE, vol. 10, no. 7, 2015, doi: 10.1371/journal.pone.0130002.


Stout, D., Toth, N., Schick, K., & Chaminade, T. (2008). Neural correlates of Early Stone Age toolmaking: technology, language and cognition in human evolution. Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences, 363(1499), 1939-1949.

Commentaires


30b5d6ac-5e47-4534-a782-1fcb5b20ef80.jpg
  • YouTube
bottom of page