top of page
  • Foto do escritorFlávio Amatti Filho

O que nunca te ensinaram nas escolas sobre o IMPÉRIO BRITÂNICO - parte 4.

Atualizado: 1 de nov. de 2023

Os bancos como instrumento de dominação e poder.


Nessa última parte, vamos entender como os Bancos Germânicos migraram para Inglaterra e para os mais diversos países do Mundo.


Qual a influencia da Família mais rica e poderosa do mundo na corte Britânica e nos Federal Reservs - FED´s.?


Mas antes ......

Para entender melhor esse artigo, leia primeiramente a parte 1, 2 e 3 👇🏼CLICANDO NAS IMAGENS





 

"ENLACES MATRIMONIAIS" COM AS FAMILIAS GOLDSMITH, GUINESS e os KHAN e a CORTE REAL BRITANICA ATUAL (OS WINDSOR - LEIA-SE FAMILIA SAXE-COBURGO-GOTHA)


SAXE-COBURGO-GOTHA?

É uma casa real de Saxônia (ESTADO), Coburg (CIDADE) e Gota (BAIRRO), mais conhecida como casa de Saxe-Coburgo-Gota (em alemão Haus Sachsen-Coburg und Gotha).



Essa casa real e dinastia alemã, da linha saxônica da casa de Wettin que governou os ducados ernestinos (ducados governados por membro da dinastia descendentes de Ernesto, eleitor da Saxônia, incluindo o Ducado de Saxe-Coburgo-Gota).


Fundada por Ernesto Antônio, o sexto duque de Saxe-Coburgo-Saalfeld, é a casa real e dinastia de várias monarquias europeias, reinando atualmente na Bélgica através dos descendentes de Leopoldo Jorge e no Reino Unido (e nos outros reinos da Comunidade das Nações), através dos descendentes do príncipe Alberto.


Devido ao sentimento anti-alemão que exisita no Reino Unido durante a Primeira Guerra Mundial (Ingaterra versus (Alemanha / Império Otomano), Jorge V mudou o nome de seu ramo de Saxe-Coburgo-Gota para Windsor em 1917.

Os membros da Casa de Saxe-Coburgo-Gota estabeleceram matrimônios e acordos politico e econômicos com integrantes das casas reais de vários reinos/paises, dentre os quais:

  • Bélgica

  • Reino Unido

  • Índia

  • Bulgária

  • Portugal

  • Império do Brasil

O príncipe Fernando de Saxe-Coburgo-Gota, sobrinho de Ernesto, casou com a rainha D. Maria II de Portugal, e os seus descendentes continuaram a governar o Reino de Portugal até 1910.
O segundo filho de Ernesto I, o príncipe Alberto, casou-se com a rainha Vitória, em 1840, sendo portanto o progenitor da atual dinastia e família real do Reino Unido, chamada Windsor desde 1917.


Dinastias da Casa de Saxe-Coburgo-Gota

Todos os ramos da Casa de Saxe-Coburgo-Gota (o ramo britânico que, depois, tornou-se o principal), o português (que, por casamento, se tornou reinante), o belga e o que converteu-se ao catolicismo romano (formando a Casa de Koháry) descendiam do duque Francisco Frederico António de Saxe-Coburgo-Saalfeld.

O ramo brasileiro Saxe-Coburgo e Bragança com a união da princesa Leopoldina do Brasil e Luís Augusto de Saxe-Coburgo-Gota.
Brasão de Saxe-Coburgo e Bragança

A família real britânica - Os Windsor.

Membros da família real britânica - Os Windsor


Jornais mostram, à esquerda, o príncipe Harry vestido de soldado da SS, e à direita, a Rainha Elizabeth fazendo saudação nazista quando criança - Divulgação Jornais mostram, à esquerda, o príncipe Harry vestido de soldado da SS, e à direita, a Rainha Elizabeth fazendo saudação nazista quando criança -

Há uma relação entre a família Real Britânica frente ao Terceiro Reich ( e ela vai muito além da fantasia anacrônica e insultante de Harry). Mas a família tentou negar isso. Sua origem alemã sofreu até uma tentativa de ser apagada, com a mudança do sobrenome de Saxônia-Coburgo-Gotha para Windsor, em 1917, durante a Primeira Guerra Mundial.

Edward VIII, o irmão mais velho do rei George VI (e tio de Elizabeth II), foi simpatizante do nazismo. Ele, que era conhecido como o duque de Windsor, chegou até a se encontrar com o ditador Adolf Hitler.


Edward VIII embarcou para a Alemanha em uma visita feita em outubro de 1937. Jamais o duque deixou de expressar apoio pelo totalitarismo.


Certa vez, o tio Elizabeth II teria dito para um parente alemão que “os ditadores são muito populares hoje em dia. Podemos querer um na Inglaterra em breve”.

O duque de Windsor reinou por um curto período de tempo, em 1936, vendo em Hitler um modo de combater o comunismo stalinista. Após abdicar o trono para se casar com uma mulher divorciada, a norte-americana, Wallis Simpson, os alemães consideraram Edward VIII como um aliado. Cogitaram até colocá-lo no trono quando derrotassem a Grã-Bretanha.


E, enquanto isso, a esposa do duque de Windsor também se aproximava dos alemães. Suspeita-se até que ela deu informações privilegiadas para apoiadores de Hitler durante a invasão da França. Fora os boatos que diziam que ela teve um affair com o ministro das Relações Exteriores de Hitler, Joaquim von Ribbentropp.


Além do casal Duque de Windsor e Wallis Simpson, a Família Real Britânica também teve outras ligações com o Terceiro Reich. E elas envolvem diretamente a Rainha Elizabeth II. Uma foto da monarca, de 1933, ano em que Adolf Hitler ascendeu ao poder na Alemanha, mostrou que ela pode ter se relacionado de alguma forma com o nazismo, muito antes da Segunda Guerra.


A imagem foi publicada pelo Jornal The Sun, em 2005 (mesmo ano em que Harry se vestiu de soldado nazista). A fotografia mostra a rainha realizando a famosa saudação nazista “Heil, Hitler” com a família.


A situação foi retirada de uma filmagem feita quando a atual rainha tinha cerca de sete anos de idade. Elizabeth II estava no castelo de Balmoral, com sua irmã e sua mãe, além de (não por acaso) o seu tio nazista, Edward VIII.


Mas se de fato a rainha foi educada com os ensinamentos do Terceiro Reich, isso não é possível afirmar. Em entrevista ao The Sun, o historiador James Holland interpretou a foto, dizendo que a família estava apenas brincando. “Acho que não havia uma criança na Grã-Bretanha nas décadas de 30 ou 40 que não tenha feito uma falsa saudação nazista como brincadeira”, afirmou.


Fato é que não apenas o tio de Elizabeth II era nazista, como também a cunhada da monarca, a princesa Cecília, que era irmã de Philip — que, por sua vez, se casou com a rainha e tornou-se Duque de Edimburgo.


A cunhada de Elizabeth II e o marido, Jorge Donatus, decidiram se filiar ao partido nazista. Como figuras da realeza, eles serviram para ampliar relações internacionais do partido, passando sua mensagem por toda a Europa.


Philip, o marido de Elizabeth II, mesmo que tenha servido na Royal Navy junto aos Aliados, também tinha muitos familiares que mantiveram relações com os nazistas. Quando ele se casou com a atual rainha, em 1947, o número de convidados de sua família foi limitado para evitar o escândalo de ver as dependências da abadia de Westminster repletos de simpatizantes de Hitler.


POLEMICAS ! POLEMICAS E MAIS POLEMICAS !!

1. Parentes nazistas

Como o Reino Unido estava em uma época pós-guerra, a relação do noivo com seus parentes de origem alemã passou a ser alvo de grandes críticas. Uma de suas irmãs, a princesa Cecília, morta em um acidente de avião em 1937, havia se filiado ao Partido Nazista junto de seu marido no mesmo ano.

Suas outras três irmãs vivas na época do casamento – Teodora, Sofia e Margaret – acabaram sendo proibidas de irem a cerimônia do próprio irmão. Isso porque todas eram casadas com príncipes de origem germânica em que alguns ainda tinham ligações com os nazistas.

2. Mudança de nome na família real (como visto anteriormente em detalhes)

Com a morte do rei George VI e a ascensão de Elizabeth II, o novo questionamento da monarquia britânica era se a família real deixaria de ser Windsor e se tornaria Mountbatten, devido as regras de casamento da época. O parlamento inglês era extremamente contrario a ideia, principalmente pelas possíveis relações que seriam feitas devido aos parentes nazistas de Philip.

Iniciou-se então uma enorme discussão para decidir qual seria o nome da realeza britânica. Louis Mountbatten, tio do príncipe, defendia fervorosamente a mudança. Porém, o primeiro-ministro Winston Churchill e a rainha-mãe Elizabeth aconselharam a nova monarca de que o nome deveria permanecer o mesmo, e assim foi feito.

Todavia, após a morte de ambos, Elizabeth II emitiu uma Ordem em Conselho relatando que todos os seus descendentes masculinos que não possuíssem os títulos de Alteza Real ou príncipe teriam o sobrenome de Windsor-Mountbatten.


3. A morte de Lady Di

Em 1997, a morte da princesa Diana em um acidente de carro na França chocou o mundo. Acompanhada de seu namorado, o empresário egípcio Dodi Al-Fayed, um motorista e um guarda costas, ela fugia de um time de paparazzi que os perseguia desde o hotel onde estavam hospedados.

Mohamed Al-Fayed, pai de Dodi, chegou a insinuar de que o acidente teria sido planejado pelo serviço secreto britânico com o aval do príncipe Philip. De acordo com o The Telegraph, o pai do empresário chamou o marido de Elizabeth II de nazista durante o julgamento ao afirmar que o acidente teria sido planejado numa conspiração da família real britânica. A teoria acabou sendo descartada pela corte que julgou a tragédia.


Veículo após o acidente

4. Falas xenofóbicas

Philip nasceu na Grécia e têm ascendências dinamarquesas e alemãs, no entanto, também é um grande patriota britânico e sempre buscou exaltar e servir a nação. Mesmo não sendo realmente inglês, o marido de Elizabeth já deu inúmeras declarações que causaram controvérsia.

Certa vez, o príncipe consorte afirmou que todo estrangeiro seria estranho e, provavelmente, inferiores aos britânicos. Em outras ocasiões, também teria afirmado que os escoceses seriam bêbados e que as pessoas de Nova Guiné seriam canibais. Também chegou a descrever todos os caribenhos com "piratas".


Certidão de nascimento do príncipe Philip

A certidão de nascimento grega (traduzida)

 

“Em Corfu, em 24 de outubro de 1921, eu, o vigário abaixo assinado da Igreja de Nosso Cristo Salvador, que está localizada no terreno do Royal Estate Mon Repos, declaro que Sua Alteza Real o Príncipe Andreas (André) de A Grécia, de 39 anos, filho do nosso falecido Rei George I, nascido em Atenas e residente em Corfu, apareceu perante mim.

Ele me apresentou um bebê recém-nascido do sexo masculino e disse que nasceu na sexta-feira, 28 de maio de 1921, às 10h, em sua residência, para Sua princesa real Aliki (Alice), de 36 anos, filha de Louis, príncipe de Battenberg, nascido no Castelo de Windsor. 

Durante o seu baptismo, o recém-nascido recebeu o nome de Philippos (Philip) pelos seus padrinhos, nomeadamente Sua Majestade Real Rainha Mãe Olga, representada por Sua Alteza a Princesa Olga, filha de Sua Alteza Real Príncipe Nikolaos da Grécia, e o Município de Corfiates, representado por unanimidade do Presidente da Câmara, Sr. Alexandros S. Kokotos, e do Sr. Stylianos I. Maniarizis, Presidente da Câmara Municipal.

O presente ato de registro foi compilado na presença da testemunha, Theodoros Chrysovitsianos, filho de Nikolaos, de 45 anos, médico, nascido em Corfu, e de Konstantinos Alamanos, filho de Péricles, de 39 anos, advogado, nascido em Corfu, e de ambas as câmaras municipais . 

O ato de registro é legalmente assinado por mim, o comparecido e as testemunhas. ”


5. “Não me admira que sejam surdos”

Em 1999, Philip fez uma visita a Associação Britânica de Surdos, em Cardiff, no País de Gales, e acabou fazendo um comentário nada agradável com as crianças presentes no evento, que acabou gerando grande polêmica no Reino Unido.


Na ocasião, o grupo de jovens estava perto de uma banda de origem caribenha quando o príncipe disse "Vocês estão tão perto da música que não me admira que sejam surdos".

 

"ENLACES MATRIMONIAIS" COM AS FAMILIAS GOLDSMITH, GUINESS e os KHAN e a CORTE REAL BRITANICA ATUAL (OS WINDSOR - LEIA-SE FAMILIA SAXE-COBURGO-GOTHA)


Jemima Marcelle Khan (nascida em 30 de janeiro de 1974 como Goldsmith) é uma produtora cinematográfica britânica.

Atuava como jornalista e redatora do The New Statesman, uma revista política e cultural britânica.

É filha de Sir James Goldsmith e Lady Annabel Goldsmith, filha do 8° Marquês de Londonderry.

Casou-se com o jogador paquistanês de críquete e atualmente primeiro-ministro do Paquistão Imran Kahn em 1995, com quem teve dois filhos. O casal se divorciou em 2004, apesar de ainda se considerarem bons amigos.

Jemima Marcelle Khan (nascida em 30 de janeiro de 1974 como Goldsmith) é uma produtora cinematográfica britânica. É filha de Sir James Goldsmith e Annabel, filha do 8° Marquês de Londonderry. Casou-se com o jogador paquistanês de críquete e atualmente primeiro-ministro do Paquistão Imran Kahn em 1995, com quem teve dois filhos

Lady Annabel (maé de Jemimma) é retratada aqui chegando para o serviço memorial do 10º aniversário de Diana, Princesa de Gales, realizado na Capela dos Guardas em Londres, em 2007.


Lady Annabel é proprietária da boate e clube privado para homens chamado de Annabel's – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org).


Esse clube é um HellFire Club- Clubes do Inferno (clubes exclusivos para libertinos da alta sociedade estabelecidos na Grã- Bretanha e na Irlanda no século XVIII. O nome geralmente se refere à Ordem dos Frades de São Francisco de Wycombe , de Francis Dashwood, conhecido como "O ABÁDE")

Jemima Khan GoldSmith e a Princesa Diana!!!! Princesa Diana - Uma Goldsmith 🫢 ????

Parece que sim !!!

Diana e Jemima eram irmãs?



Imran Khan, marido de Jemima Goldsmith Khan.


Imran Ahmed Khan Niazi HI(M) PP ( em urdu : عمران احمد خان نیازی ; nascido em 5 de outubro de 1952) é um político paquistanês e ex- capitão do Cricket que serviu como 22º primeiro-ministro do Paquistão de agosto de 2018 a abril de 2022, quando foi deposto por uma desconfiança na Assembleia Nacional


Imran Ahmed Khan Niazi

Hasnat Khan (primo de Imran Khan)


Hasnat Ahmad Khan FRCS (Urdu: حسنات احمد خان; nascido em 1 de abril de 1958) é um cirurgião cardíaco e pulmonar britânico-paquistanês.

Ele é amplamente conhecido por seu relacionamento romântico com Diana, Princesa de Gales, de 1995 a 1997.
Hasnat Khan

Relação com a Princesa de Gales

Hasnat Khan é um primo distante de Imran Khan, ex-primeiro-ministro do Paquistão.

Khan teve um relacionamento de dois anos com Diana, Princesa de Gales, que se diz tê-lo descrito como "Sr. Maravilhoso".

Em maio de 1996, Diana visitou a família Khan em Lahore.

O mordomo de Diana, Paul Burrell, disse em depoimento em seu inquérito de 2008 que Diana descreveu Khan como sua alma gêmea. Diana terminou o relacionamento em julho de 1997.

Os amigos de Diana teriam descrito Hasnat como o "amor de sua vida" e de terem falado de sua angústia quando ela terminou seu relacionamento.

Ele, no entanto, é dito ser reticente em falar do quanto ele pode ter significado para ela ou mesmo o quanto ela significou para ele.


Khan participou da cerimônia fúnebre de Diana na Abadia de Westminster em setembro de 1997

O cirurgião cardíaco disse à polícia em 2004 que duvidava que ela estivesse grávida quando morreu, porque sempre tomava suas pílulas anticoncepcionais.

Em março de 2008, Khan disse em uma declaração por escrito ao inquérito do Lord Justice Scott Baker sobre a morte de Diana que seu relacionamento havia começado no final do verão de 1995, e que, embora eles tivessem falado sobre se casar, ele acreditava que encontraria a inevitável atenção da mídia "inferno". Khan também disse acreditar que o acidente de carro que causou a morte de Diana foi um trágico acidente.


A relação entre Khan e Diana, Princesa de Gales é retratada no filme Diana (2013), dirigido por Oliver Hirschbiegel e baseado no livro de Kate Snell, Diana: Her Last Love (2001). Khan é interpretada por Naveen Andrews, enquanto Diana é interpretada por Naomi Watts.


Na quinta temporada de The Crown, Khan foi interpretado pelo ator paquistanês Humayun Saeed



Frank Zacharias Robin "Zac" Goldsmith


Frank Zacharias Robin Goldsmith é um político, jornalista e membro da Câmara dos Lordes Lord Temporal, atualmente servindo como Ministro de Estado para o Pacífico e o Meio Ambiente. Filho do magnata dos negócios e político Sir James Goldsmith, Frank trabalhou como editor do "The Ecologist" e se juntou ao Partido Conservador em 2005.


Zac" Goldsmith é irmão de Jemima Goldsmith e foi casado com Alice Miranda de Rothschild

Zac" Goldsmith é irmão de Jemima Goldsmith

Alice Miranda Rothschild


Alice Miranda Rothschild é a segunda filha do falecido prefeito de Amschel, James de Rothschild (1955-1996) e Anita Patience Guinness (n. 1957).


Ela é uma administradora do The Rothschild Archive London. 👇🏼👇🏼👇🏼




Alice Rothschild com seu marido Zac Goldsmith

Alice Rothschild é filha de Amschel Mayor James Rothschild e Anita Patience Guinness


Em julho de 1996, Amschel Rothschild cometeu suicídio por enforcamento no Hôtel Le Bristol Paris. O legista disse que não havia circunstâncias sinistras sobre sua morte. Sua esposa atribuiu o suicídio à depressão não tratada, em parte pela recente morte de sua mãe viúva.

VER NO TOPICO : TRAGÉDIAS NA PARTE 3 DESSE ARTIGO!!!





 

Excelente documentário Francês sobre os Rothschild, mostra relação com o ex-sócio Emanuel Macron - Atual Presidente da França, Escândalos e acusações.


Imperdível !! Legendado em português - BR




 

MOMENTO " A PRAÇA É NOSSA" !!! 🤡🎪

🤪🤣😂😅🎡🏟🏰


Falsário brasileiro se diz integrante da família mais rica do mundo (Familia Rothschild) para aplicar golpes de estelionato


 

SUPER BONUS:

Bem-vindo ao Fórum de Pesquisa Rothschild

O Rothschild Research Forum é um recurso para aqueles envolvidos em pesquisas acadêmicas em qualquer uma das muitas facetas dos negócios Rothschild e história familiar. O Fórum contém diferentes microsites, dedicados a um aspecto particular da história e pesquisa de Rothschild. Os microsites contêm guias de fontes, transcrições, documentos digitais e informações mais detalhadas.

Navegue pelos microsites e entre em contato com o Rothschild Archive se precisar de mais informações. 👇🏼


Três aulas da Prof Pereda gratuitas e imperdíveis que complementam esse artigo de forma magnifica

👇🏼👇🏼👇🏼👇🏼👇🏼👇🏼


EXTRA EXTRA EXTRA !!! 👇🏼👇🏼👇🏼👇🏼👇🏼👇🏼





E ai, pessoal? Gostaram desse artigo? Deixe seu like e

Instagram e Facebook ArqueoHistória >>> Instagram Facebook.

Minha pagina no Instagram -- Aletheia Ágora em http://instagram/aletheia_agora




FLAVIO AMATTI FILHO - PESQUISADOR - EQUIPE ARQUEOHISTÓRIA

Obrigado pela leitura e até o próximo POST

Um abraço

FLAVIO AMATTI FILHO














Bibliografia, Fontes e Referencias:

  1. «A Casa de Rothschild». Brasil: CinePlayers. Consultado em 11 de dezembro de 2018

  2. QUINLAN, David, The Illustrated Guide to Film Directors, Londres: Batsford, 1983 (em inglês)

  3. BERGAN, Ronald, The United Artists Story, Londres: Octopus Books, 1986 (em inglês)

  4. Gomes de Mattos, Antonio Carlos (1991). Hollywood Anos 30. Rio de Janeiro: EBAL

  5. ERICKSON, Hal. «The House of Rothschild». AllMovie. Consultado em 10 de dezembro de 2013

  6. «7.º Oscar - 1935». CinePlayers. Consultado em 11 de dezembro de 2018

  7. Ir para:a b «The House of Rothschild». AllMovie. Consultado em 10 de dezembro de 2013

  8. Ziegler, Philip. The Sixth Great Power: Barings 1762–1929. [S.l.: s.n.] ISBN 0-00-217508-8

  9. Tanja Drössel, Die Engländer in Hamburg 1914 bis 1945, pp. 107–108

  10. Zeitgeist. Peter Joseph. EUA, Google Vídeo, junho de 2007 (116 min, legendado).

  11. A Financial History of the World, (2008). The Ascent of Money:. London: [s.n.] pp. Pagina 78

  12. Oxford Dictionary of National Biography. online edition: Oxford University Press. 2004

  13. Cathcart, Brian (3 de maio de 2015). «The Rothschild Libel». Independent. Consultado em 28 de maio de 2018

  14. Cathcart, Brian. The News from Waterloo'. [S.l.]: Faber

  15. «Rothschild family | History & Facts». Encyclopedia Britannica (em inglês)

  16. «A History of the Rothschild Family». Investorpedia. 30 de abril de 2018. Consultado em 28 de maio de 2018

  17. Ir para:a b «Rothschild family». Wikipedia (em inglês). 15 de maio de 2018

  18. Wilson, Harry (4 de fevereiro de 2011). «Rothschild: history of a London banking dynasty» (em inglês). ISSN 0307-1235

  19. Oxford Dictionary of National Biography, - Rothschild, Nathan Mayer (1777–1836). [S.l.]: Oxford University Press. 2004

  20. Ir para:a b the Ascent of Money: A Financial History of the World. London: [s.n.] 2008. 78 páginas

  21. «The Collections — Treasure of the Month: The Rothschild Archive». www.rothschildarchive.org (em inglês). Consultado em 29 de maio de 2018

  22. «Exhibitions — Rothschilds and Brazil: The Rothschild Archive». www.rothschildarchive.org (em inglês). Consultado em 29 de maio de 2018

  23. «The Business — The Alliance Assurance Company: The Rothschild Archive». www.rothschildarchive.org (em inglês). Consultado em 29 de maio de 2018

  24. «Rothschild's deep connections to Rio Tinto». Follow The Money (em inglês). 29 de março de 2010

  25. «Eramet». Wikipedia (em inglês). 5 de maio de 2018

  26. «History of Imerys S.A. – FundingUniverse». www.fundinguniverse.com (em inglês). Consultado em 29 de maio de 2018

  27. «The Business — Private clients: The Rothschild Archive». www.rothschildarchive.org (em inglês). Consultado em 29 de maio de 2018

  28. ↑ Brown, Tina (1 de julho de 2007). "O Desgosto Final de Diana". Vanity Fair. pág. 4. Arquivado do original em 8 de maio de 2013 Consultado em 28 de maio de 2013

  29. ^ ↑ Luchina Fishe (31 de julho de 2013). "Reportagem: A princesa Di queria se casar novamente". ABC Notícias. Arquivado do original em 2 de agosto de 2013 Consultado em 31 de julho de 2013

  30. ^ Timur Moon, "Di's doctor finds a doctor in Lahore" Arquivado em 9 de fevereiro de 2009 no Wayback Machine., The Telegraph, Calcutá, 19 de maio de 2003, Consultado em 25 de agosto de 2008

  31. b Ansari, Massoud; ↑ Alderson, Andrew (16 de janeiro de 2008). "Dr. Hasnat Khan: Princesa Diana e eu". Sunday Telegraph. Londres. Arquivado do original em 7 de setembro de 2008 Página visitada em 25 August 2008.

  32. ^ "A avó que o príncipe George nunca soube: revisitando Diana e o verdadeiro amor de sua vida". Vanity Fair. 30 de julho de 2013. Arquivado do original em 1 de agosto de 2013 Consultado em 30 de julho de 2013

  33. ^ Terry O'Hanlon; ↑ Rick Hewett (28 de janeiro de 1996). "O jantar secreto de Diana namora com o doutor desanimado; Refeição de quatro horas à luz de velas para dois". Espelho de Domingo. Arquivado do original em 5 de março de 2016 Consultado em 1 de junho de 2013

  34. ^ ↑ Davis, Simon (14 de janeiro de 2008). "O 'grande amor' de Diana, Hasnat Khan, fala". Notícias. Arquivado do original em 21 de agosto de 2013 Consultado em 28 de maio de 2013

  35. b ↑ Roy, Amit (14 de janeiro de 2008). "O casamento do médico de Diana nas rochas". O Telégrafo de Calcutá. Arquivado do original em 21 de agosto de 2013 Consultado em 1 de agosto de 2013

  36. ^ ↑ Andrew Pulver (26 de agosto de 2013). "Filme da princesa Diana 'errou completamente', diz o ex-amante Hasnat Khan". O Guardião. Arquivado do original em 28 de agosto de 2013 Consultado em 26 de agosto de 2013

  37. ^ Várias fontes:




Comments


30b5d6ac-5e47-4534-a782-1fcb5b20ef80.jpg
  • YouTube
bottom of page